1.4.08

.das coisas que não sei mais.

Já não sei mais escrever. Nem esperar.
Sinceramente, nesses últimos dias não quero mais nada.
Eu tô me segurando pra não chorar, porque eu ando muito pouca para tanta raiva quente, ando pouca para tanta irritação. A vida me irrita e se você não sabe, a irritação é a resposta imediata, compreensível de: 'eu tô triste'. Triste, porque eu não sei esperar. Na verdade eu nem sei o que estou esperando. Deve ser por uma epifania, por um momento estrondoso em que tudo afunde e só se ergua o chão debaixo dos meus pés.
Eu não sei mais fingir sorrisos, nem que estou me divertindo e eu me divertia muito fingindo que estava me divertindo. Mas agora não basta, as pessoas são rasas e eu só demonstro minha felicidade quando vale a pena ser demonstrada.
A minha cama é muito pequena e eu mal posso me mexer. Eu ando grande pra tão pouco.
Eu prometi que não ia chorar mais. Pra deixar claro, eu não amo nada disso, eu odeio tudo disso. Mas antes não odiava porque eu não sabia que existia uma saída. Hoje sei que o mundo pode ser lindo e que a vida pode valer a pena, mas não hoje.
Gastei dinheiro, saliva, disse e ouvi tanta coisa, desisti de tanta coisa, consegui tanta coisa e o que sempre sobra é a pergunta: 'e agora o quê?'. Não importa quantos mundos minhas mãos agarrem, eu percebi que sempre estou à procura de uma mudança que nunca vem.
Que se foda a filosofia, que se foda todo o resto, eu não sou ambiciosa porra nenhuma e que ninguém venha me falar de futuro. O futuro não importa. Cansei de viver para o futuro. Eu planejei quase minha vida inteira e me deparei com esse futuro aqui, e adivinha só?! O futuro é agora e eu tô com um gosto amargo na boca.
Tô cansada dessa sensação de acordar e não ser colorido. É tudo a mesma bosta. Sempre a mesma bosta. Cansei de acordar cedo, ver queo dia rende, chegar à noite cansada e insatisfeita. Cansei de acordar tarde, meio dia desperdiçado e a outra metade mais desperdiçada ainda.
Cansei desse cheiro de misto de mofo, cigarro e vômito, desse setlist que não muda, dessas pessoas idiotas que te olham como se você fosse um pedaço de carne, das suas conversas vazias e da sua necessidade de se encaixar numa forminha perfeita, num nicho onde só constam seus amigos e seus iguais.
Cansei dessa gente bêbada, vindo em minha direção, dessa necessidade de se encharcar de álcool para ter alguma diversão, cansei da fumaça seca do Malboro e também de todos os outros cigarros. Cansei dessa cidade e dos seus feixes de luz que não passam de propaganda, cansei dos seus arredores chiquérrimos, da sua poluição e da sua mesquinhez de se auto-intitular 'a locomotiva do Brasil'. Foda-se. Seríamos um trem-bala, e não uma locomotiva, se significássemos alguma coisa nessa merda, e não, eu não vou me mudar daqui, eu sou bairrista, nasci aqui e posso falar mal ou bem, o quanto eu quiser.Cansei dos vestiluares, dos vestibulandos e universitários. Bando de gente que só se importa com os botecos a cada esquina da faculdade.
Tomei um porre de capuccino e pela primeira vez na vida enxerguei que não amo essas pessoas o quanto pensava ou o quanto deveria. Talvez eu não deva nada. Cansei de procurar significações em todas as esquinas e becos.
Tomei um porre de capuccino às altas horas da madrugada. E se Deus existe, que ele me proteja dessa corja de vagabundas e assassinos que, como eu, vagam nas ruas à procura de alguma significação - pra si, para tudo.
Tomei mais um porre de capuccino e pela primeira vez na vida senti que queria ter um mundo só meu, ou me mudar - sem previsão de volta - para um país onde ninguém me conhecesse ou falasse minha língua.
Enfim, dar uma nova página um a minha história. Começar tudo de novo, sem cordas ou lembranças.


(texto que sempre calha-me muito bem, nos dias que sinto-me assim ... )

2 comentários:

teraslife disse...

Que texto é esse??? Curti muito!!!!!
A mais deprês das deprês.
Vi seu comentário no blog da Dora aproveitei e passei aqui, legal seu blog. Vou linká-la no meu. ^^ Beijão

barbaramazzola disse...

Eu li. Reli.
Mas preciso de um tempo pra comentar sobre, tá?!

Mas eu aqui... escutando Seven Year da Norah Jones... precisei vir dizer que você é minha amiga de todos os SempresSuspiros.