23.7.09

.as vezes eu só quero dizer que.


Pode ter certeza que eu não escrevo pra ninguém, ainda que pra você soe que sim. Pra mim as palavras surgem sempre de algo que me incomodou, de alguma pedra que me atiraram, de algum olhar que eu não gostei ou de alguma carapuça que me serviu.

Algumas pessoas podem achar que sim, mas eu nunca quis me parecer com ninguém, mesmo que eu admire muito uma pessoa, ou lembre outrém. Minha personalidade forte sempre exigiu que eu me parecesse comigo mesma e a minha liberdade luta por isso. Meu reflexo no espelho agradece.

Tem gente por ai que troca uns centavos pra me pegar mentindo, mas eu nunca quis meu cabelo parecido com o de ninguém, por isso que nunca tive a coragem de cortá-lo radicalmente, tingí-lo estranhamente ou de ter feito alguma outra 'cagada' bizarrenta só pra parecer com alguma pessoa. Hoje me dou muito bem com ele ondulado do jeito que é. Preto do jeito que é. Mais de mim mesma, do jeito que deve ser.

Você me olha e diz que não, mas eu nunca gostei de seguir tendências de moda. Nunca quis ficar parecidinha com 'minhas amiguinhas', do 'meu mundinho escrotinho'. Nunca foi muito minha cara parecer 'moderninha' demais, 'surfistinha' demais, 'caretinha' demais, 'chatinha' demais, mesmo que tenha trocado o all-star por um sapato de salto alto em algumas noites por ai.

Nunca me deu vontade de parecer além do mais que eu já sou. Porque eu sou e pronto. Não tem essa de: 'Olha, eu tenho isso e você não tem'. O problema de algumas pessoas é que elas enxergam crescimento nos valores materiais (apesar de elas jurarem que não), e não é só isso. Não é. Que adianta crescer materialmente e continuar transparecendo a merdinha que você sempre foi espiritualmente?

Eu sempre tento conter as palavras que pipocam durante várias noites de pensamentos incontroláveis, de descobertas incalculáveis, mas aí eles aparecem e a gente chega a conclusão de que o ser humano tem como ponto de partida o próprio umbigo, e sempre acha que o mundo dos outros gira em torno dele mesmo. Já reparou nisso? E daí, as vezes, bem as vezes, não dá pra conter tudo dentro de si. Me sobra então - a parte de que ninguém tem coragem - jogar palavras diretas ao vento e esperar que chegue aos ouvidos alheios, sabe como é né?! Nunca fui uma boa desenhista ...

E sabe quando sabemos que vencemos? Quando sabemos que essas pessoas (porque existem milhares delas) viraram piadas no nosso cotidiano.

Simples assim ...

Beijoenãomebipanemmeseguenotwitter-tchau.

15.7.09

.keep me in mind.



Porque eles chegam em Agosto! \o/