28.9.09

"Chorei três horas, depois dormi dois dias.Parece incrível ainda estar vivo quando já não se acredita em mais nada. Olhar, quando já não se acredita no que se vê. E não sentir dor nem medo porque atingiram seu limite. E não ter nada além deste amplo vazio que poderei preencher como quiser ou deixá-lo assim, sozinho em si mesmo, completo, total."

(C.F.A)

17.9.09

.perguntas.

Deus, porque me fizeste uma pessoa ciumenta?

Deus, porque existem mulheres que não sabem falar decentemente com um cara que JÁ tem namorada?

Deus, porque existem pessoas que não se tocam?

Deus, porque algumas pessoas são 'abertas' demais?

Deus, porque a intimidade é uma grande merda?

Deus, porque as pessoas confundem as coisas?

Deus, porque as pessoas se irritam com coisas que não se dirigem a elas?

Deus, porque as pessoas se ofendem com qualquer besteira?

Deus, porque eu nasci sobre o signo de escorpião?

Deus, porque as vezes eu tenho vontade de matar? (HAHAHAHAHA)

Deus, porque você não as mata por mim? (HAHAHAHAHAHA 2)

Deus, porque as vezes eu tenho vontade de mandar todo mundo para PUTAQUEOPARIU?

Deus, porque certas mulheres ignoram o fato do seu NAMORADO, 'oi?' ter uma NAMORADA?

Deus, porque essas tais mulheres não se colocam no meu lugar?

Deus, isso chama-se insegurança? Ou desconfiança? Ou os dois? Ou nenhum deles?!

Deus, porque meu namorado vai ler isso e achar uma grande bobagem?

Deus, porque meu namorado vai ler isso, achar uma grande bobagem e fingir que não é nada disso e achar que eu estou exagerando?

Deus, porque eu acho que se fizer um escândalo vão me chamar de louca?

Deus, porque eu me importo?

Deus, me tira daqui, desse ciúme lamaçento?

Deus, será que meu namorado ou as piriguetes que o 'perseguem' vão ficar chetados se eu fizer o mesmo?

Deus, será que as piriguetes que o 'perseguem' vão ler isso daqui e dar risada da minha cara depois?

Deus, será que causarei um mal-entendido?

Deus, tô me achando ridícula agora, porque?

Deus, eu quero que tudo isso se foda. É normal?! (HAHAHAHAHAHA 3)

Deus, porque eu?

Deus ... ei, Deus! Porque você nunca me escuta? Ou melhor, me responde?


...


Porque eu nunca me escuto. rs

8.9.09

.dos nossos dias.

Toda semana se inicia uma nova contagem, daquelas regressivas mesmo:
Domingo, segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado ... domingo.
O nosso domingo. O único dia que é nosso.

Aquele dia em que acordamos juntinhos, abraçados. Olho no olho.
Você me diz bom dia e fica se enrolando no cobertor comigo.
O sol entra pela janela, você me dá um beijo e me chama pra tomar café da manhã contigo. Manhã nada. Já é quase meio-dia. Mas a gente não liga. Você passa a manteiga no pão pra mim e prepara meu café. Sim, com pouco leite. Você já sabe.

Das nossas promessas de sábado para domingo, a que eu sempre me arrependo de não conseguir fazer é a de andar de bike contigo, lá no Ibirapuera. Mas você há de concordar, não é nem pelo acordar cedo ... mas a dificuldade de levantar daquela cama de solteiro, estando com você, chega a ser um absurdo. E a culpa não é totalmente minha, vai. Você tem lá suas porcentagens. Desligar o despertador quando ele toca é uma delas.

E ai acontece, ou melhor não acontece.

O cronograma no bloco de notas das exposições que queríamos ver é deixada pra trás, o cineminha depois do almoço, a cervejinha com os amigos, a minha volta pra casa. Tudo isso porque a gente não consegue se desgrudar no domingo (ou seria todos os dias?). Será que a culpa é dele afinal? Não sei, o que sei é que sempre fica tarde demais. Então eu volto a me deitar. Me dá aquela preguicinha matinal/'domingal'. E você senta naquela sua cadeira de frente pro computador e me mostra as novidades do mundo internético, depois lê o jornal. Todo ele. E eu peço o caderno feminino e todas as baboseiras que vem com ele.
E discutimos ideias. E eu adoro todas elas. E vamos ficando com preguiça, as horas vão passando e quando eu vejo metade do nosso (só nosso) domingo já tinha ido embora. Você queria ter ido as exposições e eu ao cinema. Você queria ter ido ao Ibirapuera e eu tomar sorvete. Fazer todas essas coisas sem pressa, exatamente como fazemos ao acordar. Mas nós sempre 'perdemos'.

Mas a beleza disso tudo (já que você me ensinou a enxergar beleza em todas as coisas) é que na tentativa de encontrar um caminho pra essas nossas 'perdas', nós chegamos ás estrelas mais altas e assim podemos andar pelas nuvens mais macias, que mais parecem os lençóis da nossa cama de solteiro.

Aaahh o domingo, aquele nosso (só nosso e junto) domingo.