11.12.09

'Então me vens e me chega e me invades e me tomas e me pedes e me perdes e te derramas sobre mim com teus olhos sempre fugitivos e abres a boca para libertar novas histórias e outra vez me completo assim, sem urgências, e me concentro inteiro nas coisas que me contas, e assim calado, e assim submisso, te mastigo dentro de mim enquanto me apunhalas com lenta delicadeza.'

Caio F. Abreu (óbvio).

2 comentários:

disse...

nossa....
como é bem isso mesmo que acontece!

ai que saudade de amar, que me deu!

Tatiana Pinheiro. disse...

Estamos na sintonia hein?

hahaha

=**