28.6.10

.ham-sa.

eu não escrevo mais. sou só saudade.
saudade das palavras formando-se no que quisessem. no que desejassem.
como se tivessem vida própria. como se fugissem de mim num lampejo de dor ou numa corrida entre os sorrisos de canto, que estendem-se até os olhos brilhantes. saudade de sentir saudade em si e de ouvir além do coração. ando precisando de mim. dos meus beijos, meus abraços, do meu toque, do que sou e quero ser, por completa. e surtar por descobrir esse completo, e então correr sem direção para descobrir mais um pouco de tudo isso, e mais, e mais, e mais. e assim, ver no espelho, esse reflexo de gelatina.

Um comentário:

Leonor disse...

Obrigada pelo seu recado lindo lá no meu blog. Beijão.